Other stuff ->

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Entrevista com Rolf Epp, diretor da BMW

A equipe de conteúdo da revista e do site MOTO.com.br, Marcio Viana,
diretor de conteúdo e relacionamento, e Aladim Lopes Gonçalves, editor
de conteúdo, participaram de um encontro informal nessa terça-feira
(14/02), em São Paulo (SP), com a direção da BMW Motorrad Brasil para
apresentar os números de mercado da revista e do site MOTO.com.br e
apresentar os novos projetos editoriais e ações para a promoção do
mundo das duas rodas, como mídia especializada no segmento de
motociclismo. A conversa em tom descontraído se passou durante um
almoço com o diretor da BMW Motorrad Brasil, Rolf Epp, a nova gerente
de comunicação, Katja Embden, e Larissa Nicolau, coordenadora de
comunicação.

Rolf Epp, que já foi dirigente da BMW na Argentina e no Panamá, se
destacou no Brasil como um dos mentores do projeto de parceria com a
Dafra para a produção de motos em regime CKD (kits de montagem),
prática que permitiu que a marca alemã conseguisse um grande
crescimento no mercado nacional e tornasse seus produtos mais
acessíveis para o motociclista brasileiro. Atualmente são montados
três modelos nesse sistema, a G650 GS, a F800 GS e a F800 R, e logo
mais o lançamento G 650 GS Sertão deverá ser nacionalizado. "Esse
modelo de parceria de produto no Brasil é o único da BMW no mundo.
Existem parcerias com outras empresas, mas na área de tecnologia, por
exemplo." Ele informa que esse contrato de parceria industrial com a
Dafra é renovado anualmente.

O diretor da BMW Motorrad também revela um grande otimismo diante da
boa recuperação e do crescimento do mercado brasileiro de
motocicletas, sobretudo com a maior demanda pelas motos Premium, nicho
acima de 500cc. Em 2011 foram vendidas no país mais de 45 mil motos de
alta cilindrada, um crescimento de 23% no último ano. Por isso, entre
outras atividades que serão exploradas pela BMW no Brasil, Rolf Epp
diz que no segundo semestre de 2012 será desenvolvido o programa
Premium Selection nas concessionárias da marca para a qualificação da
venda de motos seminovas de alta cilindrada. Atualmente a marca alemã
conta com 24 pontos de venda no país e esse número deverá subir para
30 até o final de 2012. "Por questões estratégicas, vamos concentrar
as novas revendas na região nordeste."

Diante do elevado contingente de motos nas vias dos grandes centros
urbanos e dos problemas na formação e habilitação dos motociclistas no
país, o Rolf Epp ficou surpreso ao saber que o Brasil já havia adotado
registro para habilitação de motociclistas por faixa de cilindrada,
que antigamente eram A1 (baixa cilindrada), A2 (média cilindrada) e A3
(alta cilindrada), porém com a implantação do Código Brasileiro de
Trânsito, em 1998, a legislação mudou e agora vigora apenas as
categorias para moto A (todas as cilindradas) e AAC (Autorização para
Conduzir Ciclomotor). "É difícil de acreditar que essa mudança
aconteceu, pois esse tipo de graduação nas motos é importante para
preparação do motociclista e para a segurança no trânsito."

Sobre a polêmica notícia publicada na versão on-line do jornal de
economia inglês Financial Times, no último domingo (12/02), de que o
grupo Investindustrial Holdings, que administra a fabricante de motos
Ducati, anunciou que tem intenção de vender a octogenária empresa
italiana em 2012 pela quantia de 1 bilhão de euros, Rolf Epp afirmou
que não estava inteirado sobre o fato. "A Ducati é uma marca
importante, mas desconheço essa informação de que a empresa estaria à
venda."

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate