Other stuff ->

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Nova Honda NXR Falcon 2013

Será que a Falcon volta???? Ela deixou muitas saudades!!!!

Sobre o ABS, nada definitivo - tenho uma Transalp e no disco traseiro
tem o sensor de velocidade - parece ABS, mas não é.

E será que finalmente a Honda vai trocar o antigo motor da XR400, do
motocross, que tinha muito torque e pouca velocidade final (que
equipava a Falcon)?

A Falcon era uma moto sensacional, e se voltar com injeção, mais
velocidade final, e mais econômica, vai ter muita gente louca pra
voltar ter uma...

A pena é que pelas regras do Promot, o programa de redução de emissões, ela perdeu 2 cavalos, ficando com 28 cavalos - muito proxima da XRE300, que tem aproximadamente uns 25 (acho)...

A Falcon antiga tinha 30 cv...

O valor confirmado, essa 2a semana de Julho de 2012 em São Paulo é de 18.500 reais...


--------------------------------------

Essa é quente, quentíssima, e você vê em primeira mão só no Motos Blog.

A Honda apresentou a NXR 400 Falcon 2013, a Moto que deixou muitas
saudades em 2008, último ano em que foi vendida.

Reestilizada, mas ainda muito parecida com o modelo anterior, a moto
conta agora com alimentação por Injeção Eletrônica.

Pelo que dá para perceber na foto, a moto terá freios ABS, pois é
possível ver o disco com sensor na roda traseira.

Mas não é possível garantir, pois afinal, pode ser apenas o sensor do
velocímetro. O motor será mesmo de 400cc, e pelo que podemos ver,
muito semelhante ao do modelo antigo. Será que será RFCV também?

O preço, baseado apenas no meu chute do outro lado do campo, será de
uns R$ 17.000,00.

Nesta faixa de preço, não há nada parecido no mercado. Tem a XRE300
por R$ 13 mil, e a XT660R por R$ 26 mil.

Fonte: motosblog.com.br

Que estranho...

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Motociclista relata problema grave vivenciado junto ao Grupo Izzo

Mais uma dos Izzo...


--------------------------------------------------



Comprou uma KTM Adventure, pagou integralmente e a moto continua alienada...

Já recebemos muitos relatos de reclamações de motociclistas que
adquiriram motos do Grupo Izzo e estão vivenciando problemas sérios.
Motociclistas compram suas motos, pagam integralmente o valor das
mesmas e os veículos continuam alienados em nome de outras empresas,
não podendo ser comercializados pelos seus efetivos proprietários e em
alguns casos nem mesmo emplacados.

Resolvemos publicar esse caso vivenciado pelo motociclista abaixo,
pois, está completo de informações que podem ajudar outros
motociclistas a não serem lesados. É incrível como que na era da
Internet, onde a disseminação da informação corre na velocidade de
"cliques do mouse", ainda temos problemas como esse.

Dados do motociclista:
Motociclista: Paulo Cesar Gomide
Idade: 54 anos
Profissão e formação profissional: Gerente aposentado do Banco do
Brasil, formado em Engenharia Elétrica e MBA em Gestão Empresarial
pela FGV.
Reside na cidade de Macaé no estado do Rio de Janeiro.

Segue seu relato:

Em 28/12/2011, adquiri uma moto KTM ADVENTURE 990, 2010/2011, dando
entrada em cheque de minha conta corrente no valor de R$ 30.000 e em
31/12/2011, fiz um TED de R$ 23.000 para complemento e quitação da
moto em nome da HDSP COMERCIO DE VEICULOS LTDA (empresa do Grupo
Izzo).

Em 04/01/2012, compareci a loja à Rua Olegário Maciel, 526 - Barra da
Tijuca - Rio de Janeiro, onde foi entregue o veículo e emitida a Nota
Fiscal, anexa, pela HDSP COMERCIO DE VEICULOS LTDA, onde consta
"VEÍCULO VENDIDO SEM RESERVA DE DOMINIO E SEM ALIENAÇÃO FIDUCIARIA" em
meu nome.

O Gerente da loja, Sr.Daniel, solicitou o prazo de 45 dias para
regularização da burocracia de importação do veículo para o
emplacamento, prazo cumprido de minha parte. Moro em Macaé (RJ) e após
a aquisição da moto, fui parado por outro proprietario de KTM,
adquirida na mesma loja e este me informou que já estava a mais de
noventa dias sem conseguir emplaca-la. A partir daí, comecei a buscar
informações a respeito dos procedimentos da empresa. Um amigo que
havia adquirido uma Harley Davidson no mesmo Grupo, me indicou um site
onde consegui localizar restrição da minha moto. Pelo número do chassi
verifiquei a existência da seguinte anotação:

http://www.rockriders.com.br/arquivos/Image/noticias7/dadosveiculo.jpg

Conforme pode-se notar, um ilícito, pois, existia gravame em nome de
outra empresa. Aguardei o cumprimento do prazo de 45 dias e fiz os
procedimentos para emplacar a moto (pagamento dos DUDAS pertinentes,
agendamento e vistoria no DETRAN) onde não obtive sucesso. Recorri ao
PROCON Macaé (RJ) e em 27/03/2012 (processo 0112.001.742-5), houve
audiência e o fornecedor não apresentou previsão de liberação da
documentação para emplacamento do veículo.

Em 07/04/2012, demos entrada na 6o Vara Civel da Barra da Tijuca (RJ),
ação de numero 0009359-07.2012.8.19.0209 de danos morais e pedido de
tutela antecipada para urgente regularização do veículo para viagem
que estava marcada com grupo de amigos motociclistas a Santa Catarina
e Rio Grande do Sul. Em 13 de abril de 2012, demos entrada de medida
cautelar de tutela antecipada para urgente emplacamento do veiculo
(0020818-51.2012.8.19.0000) sendo estipulada multa diária pelo não
cumprimento por parte do vendedor, com inicio em 02/05 e até hoje não
cumprida por parte da empresa, o que me obrigou a alugar motocicleta
junto a empresa BOXER ADVENTURE, sediada em Osasco - SP para a viagem.

No retorno, novamente mantive contato telefônico com o jurídico da
empresa e foi-nos solicitado apresentação de valor para acordo e breve
regularização da pendência, encaminhado por e-mail em 25/05/2012. Em
29/05, recebi resposta informado que o valor era alto e reenviamos
nova proposta, com valor inferior às custas até aquele momento, sem
retorno por parte da empresa.

Em 11/06/2012, mais uma vez, liguei ao setor jurídico da empresa
negociando o emplacamento da moto em nome da empresa até regularização
do gravame. Após diversas trocas de correspondência, foi fechado
acordo onde a empresa se comprometia a enviar os documentos e a placa
do veículo para que pudéssemos efetuar viagem na 4a feira
(28/06/2012), além de valor monetário como indenização e de uma
revisão da moto gratuita, porém "MAIS UMA VEZ SEM CUMPRIMENTO POR
PARTE DA EMPRESA".

Acessando-se o GOOGLE com "GRUPO IZZO RECLAME AQUI", podemos observar
a existência de 870 reclamações da empresa, onde grande parte deve-se
a procedimento de má-fé da mesma.

Dia 27/06/2012, completamos mais de 160 dias da compra do veículo,
onde além do valor para a compra da moto, temos despesas com o seguro
da moto, custas processuais, aluguel de outra moto para viagem,
honorários advocatícios, ligações interurbanas diversas e o imenso
desgaste moral e desrespeito ao consumidor. Sendo assim, autorizo a
divulgação deste relato para que novos incautos não sejam enganados
pelo GRUPO IZZO.

Segue link de decisão judicial onde é mostrada a prática empresarial
do Grupo Izzo. Clique aqui para verificar.

Paulo Cesar Lima Gomide

Da mesma forma que publicamos esse relato vivenciado pelo Sr. Paulo
Cesar Lima Gomide, estamos abertos a receber e publicar informações
fornecidas pelo Grupo Izzo ao caso relatado. -
mototurismo@rockriders.com.br

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Chuvas, não se apavore

Nestes dias de chuva com vários pontos de alagamentos, tente não ficar
apavorado.

Se estiver no meio de um ponto de alagamento, siga o exemplo.

Mantenha a calma e procure um lugar seguro.

Maçonaria Debaixo D'agua - Paraty

Símbolos debaixo d'agua

Que a cidade de Paraty, no litoral fluminense, sofreu altas influências da
Maçonaria é algo já sabido entre os irmãos. Que trata-se de uma cidade
histórica, com arquitetura mística e simbolismos escondidos também não é
segredo para ninguém. Afinal, além do monumento instalado logo na entrada da
cidade em homenagem à ordem, basta olhar com um pouquinho mais de atenção
nas fachadas dos prédios do centro, nos ângulos formados pelas ruas e suas
esquinas e, nos azulejos usados para a decoração, típica do século XVII.

Mas o que a maioria dos Maçons de outros Orientes não sabem, é que há um
artefato de ferro fundido, com cerca de 3 metros de altura, mergulhado no
oceano, próximo a Ilha dos Meros. Ao seu lado, o Cristo Redentor permanece
também simbolizando a fé Cristã. Os dois monumentos (se assim podemos
chamar) já começam a criar vida marinha, proporcionando um ambiente positivo
para o ecossistema.

Para os amantes do mergulho, vale a pena fazer este passeio, pedindo ao Guia
de Turismo que proporcione o mergulho nas Ilhas dos Meros e Ilha dos Ratos.

Postado por Aguinaldo Oliveira
http://baraodejundiahy.blogspot.com.br/2012/02/simbolos-debaixo-dagua.html

BMW lança F 700GS e atualiza a campeã de vendas F 800GS

Para acabar com a confusão, a BMW decidiu aprimorar e renomear a F 650GS
como F 700GS. O modelo com motor de 2 cilindros paralelos fica assim
claramente em posição diferenciada em relação à G 650GS (motor de 1
cilindro, menos potente), além de ter recebido melhorias. O motor de 798cc
passa a entregar 75 cv em vez de 71 cv e torque de 77 em vez de 75 nm.
Freios ABS de série e 2 discos dianteiros em vez de 1, como na F 800GS,
também foram modificações importantes. A F 700GS também pode contar com o
controle de tração ASC e o sistema de ajuste eletrônico das suspensões ESA.

Esteticamente também há mudanças concentradas na parte dianteira, nas lentes
fumê de piscas e lanterna, e no painel, que facilitou a leitura de
velocidade e rotações do motor, além de passar a incluir o nível de gasolina
no tanque e da temperatura (antes só disponíveis no painel completo
opcional, chamado pela BMW de "computador de bordo"). A F 700GS continua
usando roda de liga leve de 19 polegadas na dianteira, reforçando seu
caráter on-road e a agilidade nos usos urbano e rodoviário.

Já a F 800GS segue sendo a autêntica todo-terreno da marca, com rodas
raiadas e aro dianteiro de 21". Além da atualização estética e dos opcionais
ASC e ESA comuns à 700, passa a oferecer a opção de redução de altura de
suspensão juntamente com o assento rebaixado, bem-vinda para uma moto tão
alta. A BMW do Brasil ainda não confirma a data de lançamento dos novos
modelos no país, o que provavelmente ocorrerá como linha 2013.

Fonte:
duasrodasonline.com.br

terça-feira, 3 de julho de 2012

Maçonaria de Marca

Sexta passada fui ao avançamento da Maçonaria da Marca - uma Ordem
interessantíssima, que muito me fez pensar na minha vida e nos
acontecimentos que se passaram comigo desde que me entendo por
gente...

Vale a pena ser avançado na Maçonaria da Marca...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------

Há evidências da existência do Grau da Marca na Escócia em 1599, mas,
conforme os antigos registros ingleses, a Maçonaria da Marca foi
introduzida em 1º de setembro de 1769, no Royal Arch Chapter nº 257,
em Portsmouth, quando Thomas Dunckerley avançou certos Irmãos como
Homens e Mestres da Marca, com cada um escolhendo sua própria marca.

Esse Grau foi trabalhado em muitas Lojas simbólicas, inclusive sob a
autoridade da Antiga Grande Loja de York, mas, com o evento da União
entre os Antigos e os Modernos em 1813, o Grau da Marca foi excluído
completamente, com o reconhecimento somente dos três Graus simbólicos,
incluindo-se o Santo Arco Real.

Porém, muitas Lojas continuaram a trabalhar esse Grau na Inglaterra, e
vários Irmãos de Londres obtiveram uma Carta Constitutiva do Bon
Accord Chapter de Aberdeen autorizando-os a conferir o Grau da Marca.

Isso criava consideráveis dificuldades administrativas para as Lojas
da Marca em Londres, já que as autoridades soberanas estavam na
Escócia; e para legitimar a sua causa, muitos dos antigos maçons da
Marca que estavam preocupados com o problema formaram a sua própria
Grande Loja em junho de 1856, indicando o lorde Leigh como o seu
primeiro Grão-Mestre.

Sucedeu-se um período de desconforto e desarmonia, mas felizmente, em
torno de 1860, um "acordo" foi realizado, estabelecendo um cerimonial
comum entre a Grande Loja da Marca Inglesa e o Grande Capítulo da
Escócia; e vagarosamente esse Grau cresceu em popularidade,
tornando-se, com o Arco Real, um dos mais bem-sucedidos e defendidos
Graus na Maçonaria.

Atualmente existem mais de 1,5 mil Lojas da Marca sob a Constituição
inglesa, como também seis Grandes Lojas "filhas", derivadas, sendo
interessante notar que um grande número de Irmãos que alcançaram
proeminência na Maçonaria Simbólica não foram menos proeminentes na
Marca.

O GRAU

A cerimônia de admissão é chamada de "Avançamento", e cronologicamente
o Grau segue o de Companheiro (tal como se faz na Escócia), embora,
como já foi dito, o candidato deva ser um Mestre Maçom. É um dos mais
antigos e interessantes Graus da Maçonaria, incorporando atualmente
dois Graus: o candidato é primeiro reconhecido como um Homem da Marca
e posteriormente avançado como um Mestre Maçom da Marca na mesma
cerimônia.

Dessa forma, mostra-se que o Grau cresce de uma antiga cerimônia, na
qual cada artesão selecionava para si mesmo uma marca particular com a
qual podia designar seu trabalho, sendo que essa marca era devidamente
registrada com a autoridade constituída. A lenda do Grau é
singularmente instrutiva e bem fundamentada nas declarações das
Sagradas Escrituras, relacionando-se com o período da construção do
Templo, antes da morte do arquiteto-chefe; o Grau da Marca nos ensina
que "a educação é o prêmio do trabalho e contém uma mensagem
dramática, de que a fraude nunca poderá ser bem-sucedida".

Autor Ir.'.Wagner Veneziani Costa (Grão Mestre Assistente da Grande
Loja de Mestres Maçons da Marca do Brasil)

'A-HAM' ou 'HUM-HUM'

Tarde da noite, já estavam deitados, quando...

MULHER : Se eu morresse você casava outra vez?
MARIDO: Claro que não!
MULHER : Não?! Não por quê?! Não gosta de estar casado?
MARIDO: Claro que gosto!
MULHER: Então por que é que não casava de novo?
MARIDO: Está bem, casava...
MULHER: (com um olhar magoado) Casava?
MARIDO: Casava. Só porque foi bom com você...
MULHER : E dormiria com ela na nossa cama?
MARIDO: Onde é que você queria que nós dormíssemos?
MULHER: E substituiria as minhas fotografias por fotografias dela?
MARIDO : É natural que sim...
MULHER: E ela ia usar o meu carro?
MARIDO: Não. Ela não dirige...
MULHER: !!!! (silêncio)
MARIDO : ( em pensamento ) Fudeu !!!

MORAL DA HISTÓRIA:
JAMAIS prolongue um assunto com uma mulher...
apenas abane a cabeça ou diga 'A-HAM' ou 'HUM-HUM'.

Kawasaki Versys 1000

Motor: A gasolina, quatro tempos, refrigeração líquida, 1.043 cm³,
quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, injeção
eletrônica e ignição digital.
Câmbio: Manual de seis marchas com transmissão por corrente selada.
Potência máxima: 118 cv a 9.000 rpm.
Torque máximo: 10,4 kgfm a 7.700 rpm
Diâmetro e curso: 77 mm X 56 mm.
Taxa de compressão: 10,3:1.
Suspensão: Garfo telescópico invertido de 43 mm com retorno e
pré-carga da mola ajustáveis. Monoamortecedor com retorno e pré-carga
da mola ajustáveis.
Pneus: 120/70 R17 na frente e 180/55 R17 atrás.
Freios: Disco duplo de 300 mm em formato margarida, pinça com pistão
duplo na frente e Disco simples de 250 mm em formato margarida, pinça
com pistão simples
Dimensões: 2,23 metros de comprimento total, 0,90 m de largura, 1,40 m
de altura, 1,52 m de distância entre-eixos e 0,84 m de altura do
assento.
Peso em ordem de marcha: 239 kg.
Tanque do combustível: 21 litros.
Produção: Manaus, Brasil.
Lançamento mundial: 2011.
Lançamento no Brasil: 2012.

Translate