Other stuff ->

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

GRUPOS MAÇÔNICOS NÃO RECONHECIDOS

Relação incompleta de grupos maçônicos no Brasil não reconhecidos pelo
Grande Oriente do Brasil - GOB, pela Confederação da Maçonaria
Simbólica do Brasil - CMSB (Grandes Lojas) e pela Confederação
Maçônica do Brasil - COMAB (Grandes Orientes estaduais):

1. Academia Maçônica do Estado de São Paulo
2. Academia Superior Maçônica do Brasil
3. Confederação da Maçonaria Universal Unida no Brasil - COMUB
4. Grande Loja Arquitetos de Aquário - GLADA
5. Grande Loja Brasileira - GLB
6. Grande Loja Carbonária do Brasil
7. Grande Loja da Maçonaria Egípcia - GLOMEB
8. Grande Loja do Brasil - GLOB
9. Grande Loja dos Maçons Antigos do Rito Schröder do Rio Grande do
Sul - GLOMARS
10. Grande Loja Feminina da Amazônia
11. Grande Loja Maçônica Feminina do Brasil
12. Grande Loja Maçônica Mista do Brasil
13. Grande Loja Maçônica Unida de São Paulo
14. Grande Loja Maçônica Unida do Piauí
15. Grande Loja Mista do Rito de Memphis-Misraim
16. Grande Loja Regular Brasileira
17. Grande Loja Regular de São Paulo
18. Grande Loja Regular do Paraná
19. Grande Loja Regular do Rio Grande do Sul
20. Grande Loja Simbólica Maçônica Brasileira - GLOSMAB
21. Grande Loja Simbólica Nacional Brasileira - GLSNB
22. Grande Loja Unida de Maçons Antigos, Livres e Aceitos do Estado do
Rio de Janeiro
23. Grande Loja Unida de Minas Gerais
24. Grande Loja Unida de Pernambuco
25. Grande Loja Unida de São Paulo (GLUSP)
26. Grande Loja Unida do Paraná
27. Grande Loja Unida Sul Americana - GLUSA
28. Grande Maçonaria Mista da Bahia - GMMB
29. Grande Oriente da Franco Maçonaria Mista do Estado do Rio Grande do Sul
30. Grande Oriente da Maçonaria do Espírito Santo
31. Grande Oriente do Rito Antigo e Primitivo de Memphis- Misrain
32. Grande Oriente Independente Misto do Rio Grande do Sul
33. Grande Oriente Lusitano no Brasil
34. Grande Oriente Maçônico Cristão do Brasil - GOMCB
35. Grande Oriente Maçônico do Brasil - GOMB
36. Grande Oriente Maçônico Pan-americano - GOMP
37. Grande Oriente Nacional "Glória Do Ocidente" do Brasil
38. Ordem Maçônica Mista Internacional "Le Droit Humain" (O Direito
Humano) – Federação Brasileira
39. Ordem Maçônica Mística e Esotérica do Brasil – OMMEB
40. Poderosas Lojas Maçônicas Independentes do Brasil
41. Supremo Conselho Independente da Maçonaria do Brasil
42. União Mineira de Lojas Maçônicas Independentes - UNILOJAS
*Lojas independentes, livres, etc., que não se congregam em
qualquer tipo de associação

(Pesquisa e compilação: Hideraldo A. Teodoro M.'.I.'.)


CRITÉRIOS DE REGULARIDADE MAÇÔNICA

Princípios Fundamentais para o Reconhecimento de Potências Maçônicas

1º – A Regularidade de origem: uma Grande Loja ou Grande Oriente
deverá ser regularmente fundado por uma Grande Loja ou Grande Oriente
devidamente reconhecido, ou por pelo menos três Lojas regularmente
constituídas;
2º – A crença no G.A.D.U. e em sua vontade revelada são condições
essenciais para a admissão de novos membros;
3º – Todos os iniciados devem prestar sua Obrigação sobre o Livro da
Lei Sagrada, ou com os olhos fixos sobre este Livro aberto, pelo qual
é expressa a revelação do Alto, pela qual a consciência do indivíduo
que se inicia está irrevogavelmente ligada;
4º – A Grande Loja e as Lojas, particularmente, serão compostas apenas
por homens; também não poderão manter relações com Lojas mistas ou
femininas;
5º – A Grande Loja exercerá o seu poder soberano sobre as Lojas de sua
jurisdição, possuindo autoridade incontestável sobre os três graus
simbólicos, sem qualquer subordinação a um Supremo Conselho ou a uma
Potência que reivindique um controle ou vigilância sobre esses graus,
nem repartirá sua autoridade com estes órgãos;
6º – As Três Grandes Luzes (Livro da Lei, Esquadro e Compasso) serão
sempre expostas nos trabalhos da Grande Loja e das Lojas de sua
jurisdição; a principal Luz é o Livro da Lei Sagrada;
7º – As discussões de ordem religiosa e política são interditadas nas Lojas;
8º – Os princípios dos Antigos Landmarks, costumes e usos da
Maçonaria, serão estritamente observados.
Outros critérios:

Regularidade de Origem

Um Grande Oriente ou Grande Loja necessita, para ser
regular, do reconhecimento e da transmissão da Tradição por outro
Grande Oriente ou Grande Loja previamente regular junto às outras
Potências, tendo assim uma Regularidade de Origem;

Respeito às antigas regras

A principal regra a ser seguida é a Constituição de
Anderson, de 1723, formulada por Anderson, Payne e Desagulliers, para
a recém-fundada Grande Loja de Londres. Pode-se, no entanto, levantar
cinco pontos fundamentais para Regras que devam ser respeitadas:

Absoluto respeito aos antigos deveres, que estão reunidos em forma de
Landmarks;
Só é possível aceitar homens livres, respeitáveis e de bons costumes
que se comprometam a por em prática um ideal de Liberdade, Igualdade e
Fraternidade;
Ter sempre como objetivo o aperfeiçoamento do Homem, e como
conseqüência, de toda a Humanidade;
A Maçonaria exige de todos os seus membros a prática escrupulosa dos
Rituais, como modo acesso ao Conhecimento, através de práticas
iniciáticas que lhe são próprias;
A Maçonaria impõe a todos os seus membros o mais absoluto respeito às
Opiniões e crenças de cada um, proibindo categoricamente toda
discussão, proselitismo ou controvérsia política ou religiosa em suas
Lojas.
Reconhecimento

Além das condições anteriores, para que uma Obediência seja
regular, ela deve ser reconhecida por outras, geralmente após um tempo
de observação. No entanto o reconhecimento não é incondicional, pois
caso o Grande Oriente ou Grande Loja desvie-se destes preceitos, ele
deixa de ser regular, perdendo o reconhecimento.

Algumas Potências Maçônicas foram interditadas por ferirem
alguns destes preceitos, tal qual o Grande Oriente da França por ser
político-partidário e retirar as menções ao Grande Arquiteto do
Universo de seu ritual, além de aceitar a iniciação de ateus.


Leia mais: http://arlspentalpha.webnode.com.br/pot%c3%aancias%20regulares%20e%20reconhecimento%20mutuo/

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A Lâmpada do Átrio

-- Venerável Mestre, peço a palavra!


-- Podeis falar, Irmão Cobridor.


-- Venerável Mestre, Irmão 1º Vigilante, Irmão 2º Vigilante, Irmão
etc., etc., etc., etc., etc.,...


-- Irmão Cobridor, podeis falar, por favor!


-- Venerável Mestre; há tempos notei, mais precisamente há um ano, que
uma das lâmpadas do Átrio está queimada. Peço a vossa sabedoria que
providencie a troca para que as luzes do Átrio não fiquem em
desarmonia, tendo uma de suas lâmpadas sem função.


-- Justificável a sua queixa e pedido, meu Irmão, mas, como o Irmão
sabe ao Venerável cabe a presidência da Oficina e qualquer coisa que
se faça, principalmente, envolvendo custos que onerem os Metais da
Loja, a assembléia tem que deliberar a respeito. Para isso concedo a
palavra aos Irmãos que queiram se manifestar sobre a proposta do
Irmão.


-- Venerável Mestre, peço a palavra!


-- Atenção, meus Irmãos o primeiro Obreiro se manifestará a respeito
da proposta do Irmão Cobridor para a troca da lâmpada queimada do
Átrio. Podeis falar, Irmão Orador.


-- Venerável Mestre Irmão 1º Vigilante, Irmão 2º Vigilante, Irmão
etc., etc., etc., etc., etc.,...


-- Meu Irmão, podeis falar, por favor; meus Irmãos, vamos dispensar
daqui em diante as fresc... desculpe, os tratamentos e citações de
praxe.


-- Venerável Mestre; a troca de uma lâmpada queimada no mundo profano
pode parecer uma coisa simples, mas não é em nossa Sacrossanta
Instituição, portanto, Venerável Mestre, peço a vossa sabedoria que
nomeie uma comissão especial para apresentar um parecer sobre a
substituição da lâmpada do Átrio, considerando; 1º - saber as causas
da queima da lâmpada; 2º - como retirar a lâmpada queimada sem perda
fluídica que a mesma gerou em toda sua existência; 3º - como instalar
a nova lâmpada sem que haja rejeição metafísica pelo desequilíbrio de
fótons no ambiente do Átrio; e, finalmente, que haja o máximo cuidado
com relação às origens da Lâmpada a ser adquirida.


-- Bem pensado, meu Irmão. O Irmão sempre nos brinda com seus
conhecimentos, vamos escolher os membros da comissão com o máximo
cuidado e informaremos sobre as suas recomendações.


-- Venerável Mestre, peço a palavra!


-- Ora! Muito bem. Vejo que mais um Irmão se dispõe a colaborar nesta
tarefa que engrandecerá o trabalho coletivo desta Oficina. Podeis
falar, Irmão Mestre Arquiteto.


-- Venerável Mestre; enalteço os cuidados do Irmão que solicitou a
Comissão Especial para a substituição da Lâmpada queimada do Átrio e,
ressalvo, que cuidados outros especiais também devemos ter nesta
tarefa técnico-mística, a saber: a logística. Temos um Irmão no quadro
da Oficina que exerce a profissão de engenheiro eletricista e que
poderá fornecer uma lista completa das ferramentas e outros
utensílios, bem como, materiais de consumo necessários a operação e o
tipo da escada, uns dos símbolos mais importantes de nossa Ordem.


-- Muito bem, meu Irmão. Com certeza nosso Irmão Engenheiro
eletricista aceitará de muito bom grado esta gloriosa oportunidade de
colaborar com seus préstimos. Só estou preocupado com esta escada.
Pode ser de 33 degraus?


-- Creio que não, Venerável Mestre, é muito longa. Pediremos uma,
emprestada, aos Irmãos do Rito Moderno, eles tinham uma escada de sete
degraus, agora tem uma de nove; mas, serve.


-- Hummm.. Sei não... Esse Rito é meio estranho.


-- É uma questão de raciocínio Venerável Mestre.


-- Tá bom! Tá bom... Deixa isso prá lá.


-- Venerável Mestre, peço a palavra.


-- Podeis falar, Irmão 1º Vigilante.


-- Venerável Mestre; vejo a grande importância em que está se tornando
o evento e, isso exige que sejam apresentadas Peças e Arquiteturas
antes de sua realização. Portanto, solicito aos nossos Irmãos
Aprendizes que façam uma pesquisa no Google sobre a iluminação do
Templo e suas nuances, influências psicossomáticas e espirituais.


-- Ora, muito bem Irmão 1º Vigilante. Irmãos Aprendizes; debrucem com
todas suas forças para copiar e colar o material pesquisado sobre este
magnífico tema apresentado pelo nosso Irmão 1º Vigilante e, que as
Peças de Arquitetura estejam prontas antes da data marcada para a
troca da lâmpada do Átrio.


-- Venerável Mestre, peço a palavra.


-- Podeis falar Irmão Mestre de Cerimônias.


-- Venerável mestre, estive certo dia em outra Loja de outra
Obediência e notei que havia no Átrio uma lâmpada colorida e se
colocássemos uma lâmpada desse tipo...


-- Venerável mestre o Irmão Mestre de Cerimônias está tentando
enxertar em nosso Templo uma lâmpada de outro Rito! Isso é um absurdo!
Irá macular o nosso sacrossanto Átrio!


-- Calma meu Irmão Past Master. O Irmão Mestre de Cerimônias está com
a palavra, deixemo-lo falar com a devida tolerância; podeis falar meu
Irmão.


-- Bem... Venerável Mestre, de fato a lâmpada é de outro Rito, mas, é
tão bonitinha imaginei que na hora que fizermos aquele quarto de hora
de preleções no átrio - que representa o purgatório de nossos pecados,
pois como todos dizem, lá deixamos tudo que é coisa ruim antes de
entrarmos no Templo, poderemos acender unicamente esta Lâmpada; nela
concentraremos todas as nossas paixões e vícios para lá fora as
deixarmos.


-- Veja, Irmão Past Master, a sugestão do Irmão Mestre de Cerimônias
se justifica. Entraremos no Templo puros e limpos. E, ao sairmos e
apagarmos aquela lâmpada, iremos recolher de volta tudo que lá
deixamos, percebeu? Os Irmãos que aprovam que a lâmpada substituta
seja... Que cor será a lâmpada, meu Irmão?


-- Vermelha, Venerável Mestre.


-- Os Irmãos que aprovam que a lâmpada substituta seja vermelha,
fiquem como estão. Aprovado, meus Irmãos.


-- Venerável Mestre, peço a palavra.


-- Podeis falar Irmão Hospitaleiro.


-- Venerável Mestre; como Vossa Sabedoria disse no início dos debates,
sobre a troca da Lâmpada queimada do Átrio, há custos. Sugiro,
portanto, que os Irmãos sejam mais bondosos em suas participações no
Tronco de Solidariedade, até o dia agendado para a realização do
evento para com isto obtermos a verba necessária para a realização do
evento. Sabemos que o produto do Tronco é para socorrer as Viúvas e
aqueles que batem em nossa porta em busca de auxílio, mas, sabemos
também, que sempre há e haverá exceções para outras necessidades que
se apresentam importantes como os ágapes, a aquisição de medalhas, a
confecção de diplomas e outros mimos. Por isso nada há de errado em
usarmos os metais do Tronco para o evento ora em planejamento.


-- Meus Irmãos; ouvistes as sábias palavras do Irmão Hospitaleiro.
Assim, peço aos Amados Irmãos que não colaboram apenas com os
costumeiros dois reais, lembrem que dependendo dos recursos obtidos
faremos uma plaqueta para colocar no Átrio com os nomes de todos
aqueles que participaram de memorável ato e, para fique registrado no
livro da história da Loja.

(Bateria incessante – Aplausos)


-- (Depois de simular lagrimas e grande pausa para aumentar os aplausos)


__ Oh... meus Irmãos; não sou merecedor de tamanho louvor. Muito
obrigado, falta-me as palavras... sniff.. (Mais aplausos)


Autor desconhecido!

Translate