Other stuff ->

terça-feira, 8 de abril de 2014

Poluição deixa patos verdes no interior de São Paulo

Eduardo Schiavoni
Do UOL, em Americana (SP)

8.abr.2014 - A plumagem de patos, geralmente branca, foram tomadas
pelo verde, cor conferida devido à poluição no rio Atibaia, causada
por despejo de esgoto sem tratamento, gerou a reprodução descontrolada
de cianobactérias e algas na represa de Salto Grande, em Americana
(127 km de São Paulo). As algas e cianobactérias, de coloração verde,
liberam toxinas e, em casos extremos, a morte dos animais.Em alta
quantidade, a presença das cianobactérias é prejudicial à saúde
humana. Na semana passada e nesta semana, houve o registro de
mortandade de patos sem causa aparente Leia mais Divulgação/Barco
Escola

A poluição no rio Atibaia, causada por despejo de esgoto sem
tratamento, gerou a reprodução descontrolada de cianobactérias e algas
na represa de Salto Grande, em Americana (127 km de São Paulo). Lá, a
plumagem de patos, geralmente branca, foram tomadas pelo verde, cor
conferida à água pelos microoganismos. Em alta quantidade, a presença
das cianobactérias é prejudicial à saúde humana.

As algas e cianobactérias, de coloração verde, liberam toxinas e, em
casos extremos, a morte dos animais. Na semana passada e nesta semana,
houve o registro de mortandade de patos sem causa aparente.

Ao homem, entre as consequências da ingestão da água da represa estão
a diminuição dos movimentos, prostração, cefaleia, febre, dor
abdominal, náuseas, vômitos, diarreia e hemorragia intra-hepática.

Já para quem tiver contato com a água contaminada, pode haver
irritação ou erupções na pele, inchaços dos lábios, irritação dos
olhos e ouvidos, dor de garganta e inflamações nos seios da face, além
de asma.

Segundo o biólogo Carlos Zappia, presidente da Associação Barco
Escola, que desenvolve trabalhos de preservação ambiental na represa e
que registrou a coloração verde na área e nos animais, há, hoje, o
total de cianobactérias e algas na represa aumentou pelo menos 500% em
quatro anos.

"Esses organismos representam significativos níveis de toxicidade que
acabam sendo incorporados à cadeia alimentar, incluíndo peixes,
podendo levar a um desequilíbrio do ecossistema local, além de causar
danos à saúde humana", disse.

Tratamento

A represa de Salta Grande, utilizada para a produção de energia, é
formada a partir do represamento do rio Atibaia. Segundo Zappia, o
risco da multiplicação sem controle de microrganismos no reservatório
começou a ser debatido há quatro anos.

Em 2010, o alerta foi lançado no Comdema (Conselho Municipal de Defesa
do Meio Ambiente) de Americana, mas poucas ações foram tomadas desde
então.

Para que o problema seja resolvido, é necessário que todas as cidades
que despejam efluentes no Atibaia passem a tratar o esgoto de forma
completa.

"Alguns esforços se mostram necessários para a solução desse problema,
mas nenhum destes será eficaz enquanto não houver um tratamento pleno
e eficaz dos efluentes lançados no Rio Atibaia e seus afluentes",
afirma o biólogo e gestor ambiental Denis Marto.

UOL

Translate