Other stuff ->

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Essa foto não tem preço!!!

Realmente...

Nova Ducati 1199 pode chegar com câmbio da MotoGP

Nova Ducati 1199 pode chegar com câmbio da MotoGP

segunda, 29 de agosto de 2011 Gabriel Berardi

Desde que a imprensa mundial descobriu que a Ducati trabalhava no
desenvolvimento de uma nova superbike, rumores e palpites sobre a
configuração mecânica e ciclística da futura superbike italiana não
param de aparecer. Agora, depois de um motor revolucionário, de um
chassi inédito e de outras soluções tecnológicas oriundas das pistas
de competição (novidades que já são certas), novas notícias dão conta
de que a futura 1199 poderá trazer também um inédito câmbio.

Comenta-se que, em parceria com a Zeroshift, a tradicional marca
italiana está desenvolvendo um sistema de transmissão que permite
trocas de marcha mais rápidas, suaves e, principalmente, sem perda de
torque entre uma relação e outra.

Chamado de DST (Ducati Seamless Transmission), o sistema seria
"inspirado" naquele que a Honda utiliza atualmente na MotoGP e que,
para os especialistas, é um dos grandes responsáveis pelo atual
domínio da moto japonesa nas pistas do Mundial.

Há dois fatores que dão credibilidade ao mais novo rumor sobre a 1199:
Rossi e Hayden testaram esse câmbio na Desmosedici GP12 (1000 cm³) e a
própria Zeroshift afirma que "após termos desenvolvido este sistema ao
longo dos últimos cinco anos, já temos um protótipo funcional e no
final de 2011 vamos fazer um grande anúncio!". Vale lembrar que a nova
superesportiva da Ducati deverá ser apresentada em novembro, no Salão
de Milão. Coincidência?

Se esse novo sistema de cambio realmente estiver presente,
definitivamente, a superbike italiana deverá chegar como a moto mais
moderna do mercado e inaugurar um novo padrão na categoria.

Foto: Reprodução

Fwd: [MCBDA] Kasinski prepara lançamento de naked e supermotard 250

Fotos: Megelli
Os rumores que já vem circulando há algum tempo no mercado se
confirmaram. As duas novas motos que a Kasinski está prestes a lançar
já estão rodando por São Paulo em fase final de ajustes e praticamente
sem disfarces. Segundo informações que conseguimos apurar, serão duas
versões, uma naked e uma supermotard, ambas com motor de 250 cm³.
O moderno propulsor monocilíndrico SOHC de 4 válvulas e 250 cm³,
conta com arrefecimento líquido e alcança interessantes 27 cv. A
título de comparação, a Kawasaki D-Tracker 250 (também com motor "a
água") alcança 22 cv e a Honda XRE — com motor de 291 cm³ e
arrefecimento a ar — alcança 26 cv.  Ainda não há outras informações
sobre a ficha técnica dos modelos.
Além do design moderno e arrojado nitidamente inspirado nas grandes
motocicletas italianas, o chassi (de aço) e a balança (de alumínio) do
tipo treliça são características marcantes no visual desta pequenas e
interessantes motos.

Com quadro em treliça e acabamento bem cuidado, as futuras Kasinski
lembram modelos italianos de alta cilindrada

O painel da SM é o mesmo adotado na naked, já a rabeta e exclusiva

A Megelli fabrica também esses mesmos modelos naked e supermotard com
um motor de 125 cm³ que gera 11 cv a 8 500 rpm — pouco frente à média
de 13-14 cv de nossas utilitárias urbanas. Entretanto, pelo menos por
enquanto, essa versão não deve ser comercializada por aqui. Nesses
modelos de entrada, 75% dos componentes, incluindo o motor fornecido
pela taiwanesa SYM, são originários de Taiwan.
Segundo o site da marca, a versão naked 125 pesa apenas 110 kg a seco,
o que deve subir para nãos mais de 115/120 kg na futura 250 cm³.
A Megelli é uma marca britânica que  esboçou seus primeiros modelos em
2005 e, em setembro de 2007, as primeiras motos deixaram a linha de
produção.
Todo o design, estudo de ergonomia e engenharia de produção são feitos
no Reino Unido, e os resultados rápidos foram conseguidos, segundo a
marca, graças à utilização de novas tecnologias de design digital,
reduzindo a escala de tempo do esboço inicial até os primeiros
protótipos.

Translate