Other stuff ->

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

O "Vovô das estradas", motociclista de 68 anos viajará por 9 países da América do Sul

A saída será nessa sexta-feira dia 01/02/2013...

O aposentado são-roquense Thiago Rocha Westphale, 68 anos, o popular Proféta
(com direito a acento na letra é), como é conhecido, inicia na próxima
sexta-feira, dia 01 de Fevereiro, uma viagem de moto por nove dos doze
países da América do Sul.

O "Vovô das Estradas" partirá para esta aventura, ás 10h, saindo da
Prefeitura de São Roque. O experiente motociclista quer cruzar o Paraguai,
Uruguai, Argentina, Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia e Venezuela, até
retornar ao ponto inicial em dois meses de expedição, batizada de "Pelas
Barbas do Profeta".

Ele garante que esta será sua terceira e última jornada de longa distância
sobre sua moto que ele apelidou carinhosamente de "Nicolle", uma Honda MI
125 cilindradas, ano 1985.

Proféta tem em seu currículo mais de 570 mil quilômetros em viagens pelo
Brasil e outros países do continente. Para o novo desafio, ele pretende
registrar por meio de imagens e relatos escritos, os pontos turísticos,
históricos e outras curiosidades de cada país que passar.

Acostumado com as viagens e reconhecido pela disposição e vontade o "Vovô
das Estradas" responde sempre que perguntado, sobre por quê realiza esta
aventuras com sua moto, que faz isso por causa "Do vírus da aventura. Não
tem remédio, e se tivesse não gostaria de tomar", destaca.

Thiago nasceu em Joinville - SC, mas reside em São Roque desde 1988. Entre
1956 e 1988 morou em Sorocaba, no jardim América. Para a realização desta
viagem ele conta com a colaboração de todos os amigos. Ele disponibilizou
uma conta corrente para quem quiser contribuir possa fazer depósitos em
dinheiro: Banco Itaú, Agência 0774 (São Roque), Conta Corrente 08.963-5, em
seu nome.

Para o Prefeito Daniel este é mais um exemplo de um cidadão são-roquense que
divulga com orgulho o nome da cidade. "O Proféta é um símbolo do nosso
motociclismo. Com amor e muita disposição, percorre grandes distâncias e
aonde chega faz questão de destacar que é de São Roque. Este é mais um
exemplo de um cidadão que se orgulha da cidade, e que no seu dia a dia faz
questão de lembrar suas origens. Que Deus o abençoe nessa aventura, que tudo
ocorra bem e que ele retorne com muito mais histórias pra contar. Que os
motociclistas da cidade possam marcar presença na sua saída, o escoltando
até o limite do município, desejando boa sorte e aplaudindo este cidadão",
finalizou.

Fonte: Site Guia de São Roque, adaptado por RockRiders.com.br

Yamaha lança XJ6 2013 no Brasil a partir de R$ 28 mil; versão carenada ganha opção de cor branca

Naked ganha capa plástica em volta do farol, acompanhando alterações da
linha europeia


A Yamaha do Brasil já levou às concessionárias do país a versão 2013 da
naked XJ6N, acompanhando a linha europeia que foi renovada no último mês de
setembro, com preço sugerido de R$ 28.410. A principal alteração no design é
uma capa plástica em volta do farol pintada na cor da moto, mas ela também
ganhou outras mudanças: aletas laterais do tanque maiores que as anteriores,
novas alças mais anatômicas para o garupa, revestimento antiderrapante no
assento, iluminação do painel por LEDs e piscas com lente cristal em vez de
âmbar. O consumidor brasileiro também poderá escolher o modelo em uma nova
cor, a especial Race Blue, em cinza escuro com detalhes em azul nas rodas e
adesivos, além das tradicionais preta e branca.

A versão F, carenada, também foi atualizada de acordo com a linha europeia
de 2013 e tem as mesmas mudanças, com exceção das alterações na parte
dianteira. É a primeira renovação no modelo desde que ele chegou ao Brasil,
no começo de 2010, e a grande novidade é a opção de cor branca, que até
então não era disponível nas lojas brasileiras. Já a versão preta ganhou uma
ligeira mudança no grafismo, agora com o vermelho em maior destaque. O preço
sugerido dela se mantém: R$ 28.990.

A versão 2012 da carenada XJ6F já com a pintura brasileira do modelo 2013

Fonte: duasrodasonline.com.br

Harley-Davidson cresce e expande os negócios em 2012

Em 2012, as vendas de motos Harley-Davidson cresceram 6,2% mundialmente, com
aumento de 6,6% nos Estados Unidos e 5,6% internacionalmente quando
comparado a 2011. Os concessionários venderam 249.849 novas motocicletas
Harley-Davidson em todo o mundo em 2012, com as vendas crescendo 39,2% na
América Latina, 14,3% na região do Ásia-Pacífico e 6,2% nos Estados Unidos e
Canadá, passando por uma retração de 3% na região conhecida como EMEA, que é
formada pela Europa, Oriente Médio e África, se comparado ao ano anterior.

No quarto trimestre de 2012, as vendas de motocicletas da marca aumentaram
7,5% no mundo se comparado com o ano anterior, com um aumento de 8,4% nos
Estados Unidos e de 6,3% nos mercados internacionais. Os concessionários
venderam 43.405 unidades neste período, com crescimento de vendas de 23,5%
na América Latina, 14,8% na Ásia-Pacífico, 7,3% nos EUA e Canadá e queda de
3,3% na Europa, Oriente Médio e África, quando colocado frente a frente com
os números do mesmo período em 2011.

O crescimento no varejo do setor de motos de alta cilindrada (acima de 651
cm³) nos Estados Unidos foi de 4% em 2012 quando comparado a 2011.

O lucro com venda de motocicletas da marca americana ao redor do mundo
cresceu 7,5% no último trimestre e 6,2% no ano quando comparado ao mesmo
período de 2011.

"Devido ao esforço visível de nossos colaboradores, concessionários e
fornecedores, alcançamos nossas metas de crescimento e reestruturação em
2012", comenta Keith Wandell, CEO e Presidente da Harley-Davidson.

A Harley-Davidson pretende embarcar entre 259.000 e 264.000 motocicletas
para os distribuidores e concessionários ao redor do mundo em 2013. Isso é
um aumento de 4,5% a 6,5% sobre 2012. No primeiro trimestre de 2013, a
companhia espera faturar para os distribuidores entre 71.000 e 76.000 motos,
um aumento entre 10% e 18% frente a 2011.

Os planos da companhia para o embarque de motocicletas no primeiro trimestre
deste ano refletem a implantação da nova linha de produção em York no
primeiro semestre de 2013. A companhia espera uma margem bruta entre 35,25%
e 36,25% no acumulado do ano. Os investimentos devem subir de US$ 200
milhões para US$ 220 milhões em 2013.

Fonte: moto.com.br

BMW R 1200 R, uma naked que reinterpreta a tradição das clássicas alemãs

Motor boxer e eixo cardã dão um sabor de nostalgia ao modelo, que mescla a
história da marca à tecnologia atual

Objeto de desejo dos aventureiros, a big trail BMW R 1200 GS talvez seja o
primeiro modelo que vem à mente quando se fala em motos com motor boxer.
Essa associação se faz a partir da origem da BMW Motorrad na década de 20
com esse tipo de propulsor, mas o motor evoluiu e se mantém um pilar da
marca, em diversas categorias. Após deixar de equipar as nakeds, ele
ressurgiu nesse segmento para equipar a R 1200 R Classic, que mescla a
história da marca, o estilo retrô e a tecnologia atual.

Mas a opção pelo motor boxer se explica por outros motivos, como o conforto
acima da média e a vocação rodoviária, além de um torque mais eficiente do
que os modelos 4 cilindros. A transmissão por cardã é outro princípio
mantido que deve agradar aos fãs da BMW, e a R 1200 R Classic soma uma opção
de compra diferente do que o mercado oferece entre as nakeds. Alguns
equipamentos de série como computador de bordo, freios ABS e controle de
tração elevam seu preço para R$ 61.500 – muito acima de uma Suzuki Bandit
1250, por exemplo, que custa R$ 33.900.

Fonte: duasrodasonline.com.br

BMW R 1200 R, uma naked que reinterpreta a tradição das clássicas alemãs

Motor boxer e eixo cardã dão um sabor de nostalgia ao modelo, que mescla a
história da marca à tecnologia atual

Objeto de desejo dos aventureiros, a big trail BMW R 1200 GS talvez seja o
primeiro modelo que vem à mente quando se fala em motos com motor boxer.
Essa associação se faz a partir da origem da BMW Motorrad na década de 20
com esse tipo de propulsor, mas o motor evoluiu e se mantém um pilar da
marca, em diversas categorias. Após deixar de equipar as nakeds, ele
ressurgiu nesse segmento para equipar a R 1200 R Classic, que mescla a
história da marca, o estilo retrô e a tecnologia atual.

Mas a opção pelo motor boxer se explica por outros motivos, como o conforto
acima da média e a vocação rodoviária, além de um torque mais eficiente do
que os modelos 4 cilindros. A transmissão por cardã é outro princípio
mantido que deve agradar aos fãs da BMW, e a R 1200 R Classic soma uma opção
de compra diferente do que o mercado oferece entre as nakeds. Alguns
equipamentos de série como computador de bordo, freios ABS e controle de
tração elevam seu preço para R$ 61.500 – muito acima de uma Suzuki Bandit
1250, por exemplo, que custa R$ 33.900.

Fonte: duasrodasonline.com.br

Husqvarna anuncia montagem da Nuda 900 em Manaus (AM)

Depois de cerca de três anos fora do mercado brasileiro, a Husqvarna
confirma o início das operações da subsidiária brasileira e a montagem de
três modelos em Manaus (AM). Nada mais natural, já que a marca é propriedade
da BMW e funcionará usufruindo a infra-estrutura do grupo no país, como sede
administrativa, concessionárias e linha de montagem. As primeiras a serem
vendidas serão as enduro TE 310R e 477, a partir de março. A naked Nuda 900
chegará em setembro.

Lançada no Salão de Milão de 2011, a Nuda 900 é o modelo mais on-road da
marca. Mistura características de naked e supermotard com motor de 2
cilindros e 900cc proveniente da BMW F 800 R, mas que gera mais de 100 cv de
potência e 10,2 kgf.m de torque.

Outro destaque é a ciclística refinada, com suspensão dianteira upside-down
e as três vias de regulagem tanto na dianteira quanto na traseira.

Também será montada no Brasil a Nuda 900R, que recebe componentes de freio e
suspensão ainda mais sofisticados. "Iniciaremos a operação da Husqvarna em
pontos de venda criados nas concessionárias BMW.

Ainda não temos preços definidos, mas a meta é encerrar o ano com mil
unidades vendidas", afirma Matteo Villano, gerente da Husqvarna Brasil.

Fonte: duasrodasonline.com.br

Motor e personalidade, as armas da Triumph Thunderbird contra a Harley

Potência, torque e agilidade tornam a custom inglesa mais uma concorrente no
segmento consolidado pela fabricante americana

O motor de 1.700cc da Triumph Thunderbird Storm talvez seja recebido com uma
injusta desconfiança por não usar a configuração V2, e sim um motor de 2
cilindros paralelos. Mas a sensação de pilotar a moto inglesa, recém-lançada
no Brasil, é praticamente a mesma de uma V2, com torque de sobra em baixas
rotações e ronco encorpado que já a colocam na disputa entre as custom de
aproximadamente R$ 50 mil – ela sai por R$ 49.900, com ABS de série.

A Thunderbird chama a atenção pelo farol duplo e o acabamento fosco de
série, demonstrando identidade própria em uma categoria na qual a
personalidade é fundamental para conquistar o consumidor. Confortável e com
bom desempenho, o lançamento da Triumph chega para encarar rivais já
consolidadas no mercado, como a Harley-Davidson Fat Boy, que custa R$
49.400.

Fonte: duasrodasonline.com.br

Venda de motos no Brasil é três vezes superior aos EUA

O Brasil foi o país que mais vendeu motos nas Américas em 2012 mesmo com
queda de 15,62% no último ano. Segundo o relatório anual da Fenabrave
(federação das concessionárias), foram emplacadas por aqui 1.707.754
unidades no ano passado. Nos EUA esse número é bastante inferior, de acordo
com o Motorcycle Industry Council (MIC), foram emplacadas 452.386 motos em
solo americano no último ano.

Isso por que os EUA teve um crescimento de 2,6% sobre o número de vendas de
2011. Comparando só o segmento das scooters de ambos os países podemos
perceber tamanha diferença. Os EUA venderam 34,294 unidades, contra 402.687
unidades no Brasil em 2012.

Esses números mostram que nosso mercado tem potencial para receber os
modelos que não são comercializados por aqui ainda, e também serve de
incentivo para as montadoras apostarem cada vez mais em nosso país trazendo
novidades.

Fonte: moto.com.br

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

UM PAPA NA MAÇONARIA

via Filhos de Hiram de jose lopes em 04/02/13

fonte: revista universo maçônico

Dentre os Papas, destacou-se pelo ódio anticristão contra a Maçonaria,
Pio IX. Mostrou-se rancoroso contra a Instituição depois de Papa. Pio
IX chamava-se Giovanni Ferreti Mastai. Ele foi Maçom, tendo pertencido
ao quadro de obreiros da Loja Eterna Cadena, de Palermo (Itália).

Sob o número 13.715 foi arquivada, em 1839 na Loja Fidelidade
Germânica, do Oriente de Nurenberg uma credencial de que foi portador
o Irmão Giovanni Ferreti Mastai, devidamente autenticado, com selo da
Loja Perpétua, de Nápolis. Como Irmão, como Maçom, Giovanni Ferreti
Mastai foi recebido na Loja Fidelidade Germânica.

O Irmão Ferretti nasceu em 1792. Passou dois anos no Chile, servindo
como secretário do vigário apostólico Mazzi; foi Arcebispo de Spoleto
em 1827, bispo de Imola em 1832 e foi elevado a Cardeal, em 1840, e
eleito Papa em 1846.

Confrontando- se as datas, verifica-se que, em 1839, quando o Irmão
Ferretti foi fraternalmente recebido na Loja Maçônica na Alemanha, já
era Bispo. Ascendendo a Papa, Giovanni Ferretti Mastai traiu seu
Juramento, feito em Loja Maçônica, com a mão sobre o Livro da Lei e
honrou a Maçonaria com o seu ódio, culminando com a publicação, em 08
de dezembro de 1864, do Syllabus, e em que amontoou todas as bulas
papais e encíclicas contra a Maçonaria, de que fizera parte.

A Loja Eterna Cadena, filiada à Grande Loja de Palermo, em 26 de março
de 1846 considerando o procedimento condenável do Irmão Giovanni,
resolveu expulsá-lo como traidor, depois de convocá-lo para
defender-se. Sua expulsão foi determinada por Victor Manuel, Rei da
Itália e de toda a Península e Grão-Mestre da Maçonaria da Itália, que
decretou mais tarde, em 1865 sua expulsão da Ordem por ter excomungado
todos os membros da Maçonaria. Sua expulsão pelo Rei italiano e
Grão-Mestre foi classificada como Perjuro. A Igreja Católica sempre
tem procurado ocultar este episódio.
Pio IX que tão ferozmente investiu contra os Maçons, sobretudo os da
Itália, foi feito prisioneiro em 20 de setembro de 1870, pelos
patriotas que lutavam e conquistaram a Unificação Italiana, tendo à
frente vários Maçons inclusive, entre eles: Garibaldi, Mazzini,
Cavour, Manzoni e outros.

Apesar de feroz inimigo da Maçonaria, que traiu, Pio IX foi tratado
com consideração pelos Maçons, seus aprisionadores. Viram nele o
antigo Irmão transviado e, embora fosse ele um Perjuro, prevaleceu o
Princípio Sagrado de Fraternidade.

Foi belíssima a lição de amor ao próximo, dada pelos Maçons ao Papa
Pio IX. Em conseqüência da bula Syllabus de Pio IX, contra a
Maçonaria, é que surgiu no Brasil, a rumorosa Questão dos Bispos,
também denominada. Questão Epíscopo-maçônica, quando Dom Vital, Bispo
de Olinda, e Dom Antonio Macedo, Bispo do Pará, pretenderam que o
Syllabus se sobrepusesse às Leis Civis Brasileiras, exigindo que as
Irmandades religiosas eliminassem do seu seio os numerosos Maçons
católicos que a compunham. As Irmandades reagiram e recorreram à
Justiça, tendo tido ganho de causa. Os Bispos não acataram a decisão
da Justiça. Foram julgados e condenados a quatro anos de prisão, com
trabalho forçado.

Um ano e pouco depois o Duque de Caxias, Maçom, então Presidente do
Ministério do Segundo Império, anistiou-os. Este,
Caríssimos Irmãos, é mais um episódio maçônico que deve ser divulgado!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Inglesa Triumph Rocket III Roadster ano 2013

Com motor de 2300cc e 148 cavalos...

A Rocket III Roadster da tradicional fabricante britânica Triumph vem para
2013 com várias pequenas modificações. O limitador eletrônico que havia para
as três primeiras marchas foi removido para deixar a moto aproveitar melhor
os incríveis 221 Nm de torque máximo entregues pelo motor tricilindrico de
2.300 cc e 148 CV de potência máxima, tornando-a um "foguete" nas arrancadas
e retomadas de velocidade em baixos giros, entre os modelos custom.

Além disso, os freios ABS passam a ser oferecidos de série e, na parte
estética, a moto assumiu um ar diferenciado, com substituição de componentes
cromados por preto fosco.

Dois esquemas de cores estarão disponíveis, um em preto metalizado com lista
duplas em vermelho e outro em preto fosco com listas duplas em branco. A
moto poderá ser encontrada à venda a partir do segundo trimestre deste ano
ao preço público sugerido será de 10.395 euros na Europa. No Brasil, se o
modelo for trazido pela marca, deverá ser comercializada por no mínimo o
dobro do valor.

Fonte: RockRiders.com.br

Kawasaki lança Z800 com 113 cv para substituir a Z750; preços partem de R$ 36 mil

Naked atualizada chega ao país apenas quatro meses após a apresentação
mundial, com novo design, mais potência e torque


As vendas da nova Kawasaki Z800 começam neste mês com uma série de melhorias
sobre o modelo anterior. A versão vendida no Brasil será a topo de linha de
113 cv – foi criada uma versão "econômica" para a Europa, cerca de 10% mais
barata, com potência limitada a 95 cv e suspensão traseira simplificada,
apenas com regulagem de pré-carga da mola.

Segundo a Kawasaki, os ganhos foram de cerca de 7% tanto em potência (106
para 113 cv) quanto torque (8 para 8,5 kgf.m), mas a maior diferença de
desempenho é percebida em baixas e médias rotações. As acelerações ficaram
ainda mais poderosas com auxílio da relação de transmissão final encurtada
graças à coroa de 45 dentes no lugar da antiga de 43.

O comportamento dinâmico da Z800 foi incrementado com um chassi mais rígido,
braço oscilante de alumínio na suspensão traseira e o reposicionamento do
amortecedor traseiro 2 cm à esquerda, o que melhorou a distribuição de peso
ao compensar a ponteira de escapamento à direita. O freio dianteiro também
foi aprimorado com discos de 310 mm e pinças de quatro pistões opostos em
vez de 300 mm e pinças de dois pistões.

No novo design é indiscutível a influência da Z1000 e dos "apêndices" para
encorpar a Z nas laterais do tanque e embaixo do motor. O painel passou a
ser completamente digital, com três displays que agora incluem o alerta de
modo de pilotagem econômico e autonomia restante do tanque de combustível.
Os preços sem frete são de R$ 35.990 na versão standard e R$ 38.990 com ABS,
o que faz a versão completa custar o mesmo que a standard da Honda CB 1000R.
As cores disponíveis são verde com preta, branca e preta.

Fonte: duasrodasonline.com.br

Triumph lançará o triciclo “Rocktrik” nos Estados Unidos

O "Rocktrik" é o mais novo triciclo que estará disponível para venda nos
Estados Unidos. Sua concepção deriva do modelo "Rocket III" da Triumph.

O "trike" chama atenção pelos seus dois grandes pneus traseiros e assento
elevado para o passageiro. O grande motor Triumph de 2.249cc confere força,
poder, imponência e desempenho.

O detalhe interessante é que este modelo, segundo noticiado, será fabricado
no Brasil, então pode ser que tenhamos a oportunidade de ver alguns unidades
deste curioso veículo rodando por aqui.

Fonte: sobremotos.com.br

Acidente por uso do celular ao volante vira crime

O motorista que provocar um acidente ou atropelar alguém por estar falando
ao celular enquanto dirige deve responder por crime doloso, ou seja,
intencional. Na prática, a decisão do Tribunal Federal Regional da 1ª Região
(TRF-1), em Brasília, significa que, nesses casos, os réus serão julgados
por um júri popular e estarão sujeitos a penas mais severas do que se
condenados por um crime culposo, quando não é intencional.

Ao julgar o recurso do administrador de empresas Márcio Assad Cruz Scaff,
acusado de ter atropelado e matado a policial rodoviária federal Vanessa
Siffert, o juiz da 3ª Turma do TRF-1, Tourinho Neto, considerou que "as
provas produzidas até o momento sugerem que o réu assumiu o risco de
produzir o resultado [morte da policial]", mesmo estando dentro dos limites
de velocidade permitida.

Se for condenado pelo crime de homicídio simples, o administrador pode pegar
de seis a 20 anos de prisão, em regime fechado. Caso respondesse por crime
culposo, estaria sujeito a pena que varia de um a três anos. Além disso, em
2011, o Instituto Nacional do Seguro Social anunciou que passaria a cobrar
judicialmente dos motoristas que provoquem acidentes de trânsito dolosos os
gastos com benefícios previdenciários pagos às vítimas que tiverem que se
afastar do trabalho. A primeira "ação regressiva" de ressarcimento por
acidente de trânsito foi ajuizada na Justiça Federal em 3 de novembro, pelo
próprio ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves.

Para o presidente da Comissão de Direito de Trânsito da Ordem dos Advogados
do Brasil (OAB) em Mato Grosso, Thiago França Cabral, a decisão,
"inflexível", contribui para combater a impunidade no trânsito.

"Casos como esses, além de um grande absurdo, são frequentes em nosso país.
Por isso, a importância de se ter um [Poder] Judiciário forte, inflexível e
implacável em suas decisões. Não só por uma questão de justiça, como também
como forma de combater a impunidade no que diz respeito à violência no
trânsito".

De acordo com dados do Ministério da Saúde, entre 2000 e 2008, mais de 300
mil brasileiros perderam a vida em acidentes de trânsito, situação que, em
2009, levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a apontar o Brasil como o
quinto país em mortes no trânsito.

Scaff atropelou Vanessa na noite de 26 de outubro de 2006, na BR-316, em
Ananindeua, no Pará. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, o
administrador dirigia conversando ao celular quando ultrapassou os carros
parados em uma barreira da Polícia Rodoviária Federal, avançou sobre os
cones de sinalização e atingiu a policial de 35 anos, que estava em serviço
e morreu em razão dos ferimentos. Consta do processo que Scaff também estava
visivelmente embriagado e admitiu ter usado substâncias entorpecentes na
véspera da ocorrência. Três cigarros de maconha e mais 4,7 gramas da
substância foram encontradas no interior do veículo.

Em agosto de 2010, a 4ª Vara Federal Federal Criminal do Pará decidiu que
Scaff seria julgado por um Tribunal de Júri por crime doloso, já que havia
assumido o risco ao dirigir de forma desatenta e por ter consumido drogas na
véspera. O réu então recorreu ao TRF-1, que negou o pedido para que a
denúncia fosse alterada de crime doloso para culposo. As informações são da
Agência Brasil.

MTT Y2K Superbike, que impressionou nos anos 2000, pode voltar em uma versão ainda mais potente

A Y2K original; novo modelo pode render 420 cv

A norte-americana MTT (Marine Turbine Technologies) deve voltar a sacudir o
mundo de duas rodas com o lançamento de mais uma moto turbinada: a MTT Y2K
Superbike, herdeira do modelo do ano 2000 que rendia 320 cv a 52.000 rpm e
chegava a 320 km/h em pouco mais de 5 segundos. Se a original já
impressionava pela potência, o modelo 2013 vai ainda mais longe, prometendo
render nada menos que 420 cv e uma velocidade máxima de até 440 km/h. Ambos
são impulsionados por um motor turboeixo (a jato), utilizado em helicópteros
e fabricado pela Rolls-Royce.

A ideia da MTT é lançar a superbike na Europa e nos Estados Unidos na metade
do ano, com homologação para rodar nas ruas. O mesmo aconteceu com a
original, mas o preço de quase 200 mil dólares e a baixa autonomia, de
aproximadamente 80 km, afugentou os compradores, transformando cada unidade
em relíquia. Um dos donos mais famosos é o americano Jay Leno, apresentador
do tradicional programa de televisão The Tonight Show, colecionador e amante
da velocidade.

O preço deve continuar no mesmo patamar, chegando a pelo menos 175 mil
dólares (ou R$ 350 mil). Com carenagem em fibra de carbono, a moto deve
utilizar discos de freios maiores, quadro em alumínio e um pneu traseiro com
largura de 240 polegadas especialmente projetado para ela, além de outras
inovações em relação à original, como ABS e controle de tração, tudo para
tornar o jato um pouco mais fácil de pilotar.

Fonte: duasrodasonline.com.br

Ducati confirma vendas da Monster 796 e outros cinco modelos no Brasil, ainda sem preços e datas

Após anunciar a criação da subsidiária brasileira no fim do ano passado, a
Ducati do Brasil confirma que a linha vendida no Brasil neste ano será
composta por seis modelos. Ainda sem preços e data para início das vendas
confirmados, Monster 796, Diavel, Multistrada, Streetfighter 848, Superbike
848 e Panigale 1199 foram as escolhidas. Ainda não há tabela de preços ou
concessionária em funcionamento, mas fala-se na inauguração da primeira loja
até abril, em São Paulo (SP). Conheça mais sobre as seis motos que a Ducati
venderá no país neste ano:



Monster 796

A naked completa neste ano 20 anos do início da produção. Na Europa existem
também as Montser 696 e 1100, mas para o Brasil foi escolhida a de
cilindrada intermediária, com motor de 803cc e 2 cilindros em "L" que gera
87 cv. O sistema de freios ABS será item de série.



Diavel

A custom esportiva da Ducati tem design inconfundível, assim como o
desempenho sem precedentes na categoria. O motor de 1.200cc gera 162 cv e
torque de 13 kgf.m, que podem ser "domados" através de três modos de
pilotagem. No modo Sport os 162 cv são despejados de forma instantânea para
o solo, permitindo uma pilotagem predominantemente esportiva; na posição
Touring a potência é entregue de forma progressiva e suave; e na Urban
somente 100 cv estão disponíveis. ABS e controle de tração serão itens de
série.



Multistrada

Depois de se renovar para 2013, com uma nova versão do motor 1.200cc (150
cv) e o sistema de suspensões ativas na versão S, a Multistrada chega ao
Brasil atualizada. A grande novidade é sem dúvida o sistema Ducati Skyhook
Suspension (DSS), que ajusta continuamente os amortecedores de acordo com
terreno, estilo de pilotagem e o modo de pilotagem selecionado (Enduro,
Urban, Touring e Sport). Freios ABS e controle de tração serão itens de
série.



Streetfighter 848

Versão naked da superbike 848, a Streetfighter é uma naked esportiva e de
design agressivo. O motor de 848cc entrega 132 cv de potência com
progressividade auxiliado pelo controle de tração de série e as suspensões
completamente ajustáveis na dianteira e traseira não deixam dúvida de que se
trata de uma superbike sem carenagem.



Superbike 848 EVO

O motor da 848 EVO é um Testastretta Evoluzione, desmodrômico, bicilíndrico,
com arrefecimento a líquido, que desenvolve 140 cv de potência máxima a
10.500 rpm e torque máximo de 10 kgf.m a 9.750 rpm. Em outras palavras,
mesmo mantendo a configuração tradicional de 2 cilindros em "L" entrega
desempenho equivalente ao de motos de 4 cilindros da mesma cilindrada (as
600cc de 4 cilindros têm potência ao redor de 125 cv). O conjunto é formado
por suspensões completamente ajustáveis, freios de primeira linha com pinças
monobloco na dianteira, pneus para uso racing e painel que registra até
tempo de volta.



Panigale 1199

Usa o motor de 2 cilindros mais potente do planeta, que produz 195 cv.
Também é uma das que mais traz eletrônica embarcada, incluindo freios ABS,
controle de tração, suspensões eletronicamente ajustáveis com garfo
dianteiro de 50 mm e assistência para trocas de marcha (quick shift).

Fonte: duasrodasonline.com.br

Prova inaugural de Moto-Turismo acontece em março

A mais nova modalidade da CBM, o Moto-Turismo, terá início nos dias 22 e 23
de março, em São Paulo. A expectativa é de que 50 pilotos participem da
prova inaugural.

Serão três categorias nessa primeira prova: 1000 km em 24 horas, 1500 Km em
24 horas e 2000 Km em 24 horas. "A idéia dessas provas é superar os seus
próprios limites e se autodescobrir nessas provas. Ao contrário do que
pensam, atenção, segurança, condicionamento físico, gestão emocional,
conservação da motocicleta, e atender as regras e leis de trânsito, são
prioridades. Por isso, o planejamento é fundamental para a realização de
provas, onde conscientização e atitude são fundamentais", ressalta o Diretor
de Provas, Oswaldo Fernandes Junior.

As inscrições já estão abertas. O valor de cada prova será de R$ 380,00, mas
quem se antecipar pode aproveitar descontos de 40% para quem efetuar as
inscrições nesse mês de janeiro e 20% em fevereiro. Mais informações podem
ser obtidas pelo site: www.cbm.esp.br

Fonte: moto.com.br

Translate