Other stuff ->

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Conto: Rotas (6 - O Enamorado)

O Enamorado

Após minutos de jactância naquela situação, o Louco sentiu seu
espírito voltar a si, e aquele ímpeto andarilho, sem raízes apossou de
seus pensamentos - Devo sair daqui - pensou ele, mas todos fitavam-no
esperando talvez mais palavras estranhas ou um gesto talvez mais ainda
estranho.

Um torvelinho materializava-se em sua frente e subitamente ele sentiu
que Deus estava ali, então as seguintes palavras brotaram em sua boca
- "Deus Meumque Jus" - Juntou os dois dedos da mão direita e
empunhando o cetro que seu predecessor deixara caído no chão, sentiu
que a luz do alto saía pela ponta dos mesmos.

Como um jorro de energia, aquela luz que ele emanava da ponta dos
dedos espalhava-se por toda a sala, atingindo todos na garganta, onde
podia ele notar um redemoinho girando em multicores que, extasiado,
não cansava de acompanhar as voltas, como se uma flor girasse suas
pétalas, absorvendo toda aquela luz.

Juntou suas coisas e saiu pela porta, sentindo-se outro, sentindo-se
parte do Altíssimo, enquanto seu público continuava extasiado, com
suas flores a girar.

Teve de tomar uma decisão, igual àquela que tomara quando decidiu
escolher não ser alvejado pelo cupido que o espreitava, largando sua
prometida e sua mãe, dirigindo-se ao desconhecido pelo caminho do
meio, renunciando a toda sua vida de pompa e riqueza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate