Other stuff ->

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Ducati e KTM têm lojas fechadas por seu representante no Brasil

Grupo Izzo diz ter 'decidido encerrar as atividades comerciais'.
Fabricantes europeias ficam com situação indefinida no país.

Logo da Ducati na Juscelino Kubitschek, em São Paulo teve inscrições
da marca retiradas

O Grupo Izzo fechou, em São Paulo, sua principal loja da Ducati no país, na
Avenida Juscelino Kubitschek. Segundo funcionário, que não quis se
identificar, o último dia de funcionamento foi no sábado passado (6) e o
encerramento das atividades ocorreu sem explicações. Dois dias depois, a
empresa, que é a represente no Brasil da marca italiana de motos, e também
da austríaca KTM, divulgou um comunicado não muito claro aos seus clientes,
falando sobre o rumo de seus negócios.

"Após muitos anos atuando no mercado brasileiro, estrategicamente decidimos
por compactar e encerrar nossas atividades comerciais, compatibilizando
nossas unidades em uma nova configuração mais otimizada e de acordo com o
mercado e cenário atual do país. Sendo assim, manteremos nossa empresa em
plena atividade administrativa", informou a nota, que foi transmitida em
nomes de HDSP e LPAP, empresas do Grupo Izzo.

O G1 tentou contato com todas concessionárias KTM e Ducati, veiculadas ao
grupo, e nenhuma atendeu o telefone. A loja da KTM na Juscelino Kubischek
também não está funcionando. Além dela, a unidade da Avenida dos
Bandeirantes, também em São Paulo, dita como a maior concessionária da marca
austríaca no mundo, fechou há alguns meses. Procurado, o Grupo Izzo não se
manifestou.

A mesma nota distribuída aos clientes diz: "Oportunamente, em um futuro
próximo, comunicaremos o endereço das novas instalações já em procedimento
de reforma para adequação do espaço". Desse modo, KTM e Ducati ficam com as
operações indefinidas no Brasil.

"Estamos em situação litigiosa com o Grupo Izzo e não podemos dar
informações sobre o caso", diz a KTM do Brasil, subsidiária da empresa
austríaca no país, referindo-se a ação na Justiça. "Ainda não temos previsão
de voltar a comercializar motos e estamos focando no pós-vendas", explicou
um representante. A Ducati também foi contatada, diretamente na Itália, mas
não se pronunciou até a publicação da reportagem. Os sites das marcas no
Brasil estão fora do ar.

Problemas com clientes
No site "Reclame Aqui" constam diversas queixas contra Grupo Izzo, em
relação às vendas de motos KTM e Ducati. Clientes reclamam, principalmente,
sobre a demora para o emplacamento e a normalização da documentação.
"Comprei minha moto em setembro de 2011 e só recebi o documento em dezembro
do ano passado, mas em nome do Grupo Izzo, e alienado", afirma Marcel
Santos, 40 anos, gerente jurídico, que adquiriu uma Ducati Hypermotard 796 à
vista.

"Só recebi o documento no meu nome em julho de 2012. Depois disso tudo,
perdi a vontade de andar com a moto e a vendi. Em nove meses, rodei apenas
1.000 km", explica Santos, que mantém ação judicial contra a o grupo.

De acordo com o Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP),
ainda não está muito claro quais serão os rumos da operação da empresa,
porém, é obrigatório que o Grupo Izzo cumpra os termos de garantias das
motos. Além disso, as peças de reposição têm de continuar disponíveis por um
"período razoável" (não há prazo estabelecido no Código de Defesa do
Consumidor).

A empresa também continua responsável pelos eventuais recalls das motos.
Ainda segundo a fundação, os clientes que se sentirem lesados devem procurar
o Procon para obterem seus direitos.

Parcerias do Grupo Izzo

O Grupo Izzo já teve a representação de outras marcas como Triumph, MV
Agusta e Husqvarna. Sua parceria mais importante foi com a Harley-Davidson,
marca da qual vendeu mais de 20 mil motos no país. No final, a empresa
americana entrou com processo contra o Izzo e a ação terminou após acordo
entre as partes. Desde 2011, a Harley tem operação própria no Brasil.

A Triumph também anunciou subsidiária, com montagem de suas motos em Manaus,
e começará a vendar suas motos em novembro. Enquanto isso, a MV Agusta está
atualmente com a Dafra, que monta as motos italianas no país, e a BMW deve
anunciar em breve as vendas de Husqvarna, marca da qual é dona, no Brasil.


Fonte: g1.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate