Other stuff ->

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Nautas da Arca Real

Nautas da Arca Real

Também conhecido como a Antiga e Honrosa Fraternidade de Nautas da Arca Real.

Este Grau, embora trabalhe sob a égide da Grande Loja de Mestres
Maçons da Marca, e obrigar os candidatos a serem Mestres Maçons da
Marca, não tem qualquer ligação histórica com o Grau da Marca. O
Regulamento da Grande Loja de Marca sobre a "Antiga e Honrosa
Fraternidade de Nautas da Arca Real" é simplesmente um capricho do
destino. Ergue-se completamente sozinho e totalmente alheio a qualquer
outro grau na Maçonaria.

A história do Grau é um assunto obscuro e difícil e o número de fatos
históricos que surgiram ao longo dos anos foram realmente pequenos.
Como resultado, a origem precisa do grau é desconhecida.

O grau é de cerca de duzentos anos e, como seu nome sugere, tem um
sabor náutico, tendo a sua definição das circunstâncias que levaram ao
Grande Dilúvio e as medidas tomadas por Noé para construir a Arca,
através da qual a humanidade foi preservada de perecer no "Dilúvio
Universal".

Como o grau de Mestre Maçom da Marca, que é baseado em um fato
estabelecido (ou seja, a construção do Templo de Jerusalém), assim o
grau de Nautas da Arca Real também é baseado em um acontecimento real,
ou seja, o Dilúvio, como registrado na Bíblia e como verificado em
1929 pelo arqueólogo Sir Leonard Woolley, que não só encontrou provas
claras de que a inundação existiu, como também estabeleceu que ocorreu
há cerca de 6.000 anos.

A lenda de Noé, de seus filhos, da Arca e do Dilúvio foi promulga no
século XVII, e continuou como catecismo em muitos dos rituais
primitivos da maçonaria. Por volta de 1750 houve um certo grau de
Noaquita ou Calavaleiro Prussiano. No entanto, o primeiro registro
autêntico do grau aparece na ata de uma reunião realizada em Bath, em
1790. Existem numerosos registros em todo o país, da cerimônia de
elevação sendo realizado desde essa data.

As alegações de que uma Grande Loja de Nautas da Arca Real foi formada
em 1772 e presidida por Sua Alteza Real o Duque de Clarence não são
apoiadas pelos fatos conhecidos e, assim, mais tarde, afirma que esta
Grande Loja caiu em desuso, apenas para ser revivida em 1871,
realmente não resiste a qualquer grau de pesquisa mais rigorosa.

Embora o grau parecer ter sido praticado de diversas maneiras e como
convidado em diferentes Lojas, quase não havia dúvida nenhuma de que
uma Grande Loja presidiu o grau. Estamos, naturalmente, lembrando de
que cada vez que entramos em uma Loja simbólica observamos o uso,
pelos diáconos, da pomba tendo um ramo de oliveira, em vez de
Mercúrio, o mensageiro dos deuses, que vemos em Lojas de Marca.

É interessante notar que, mais uma vez, que Thomas Dunckerley, tão
importante no destino de muitos graus na Maçonaria, foi também em
1793, descrito como Grande Comandante da Antiga e Honrosa Fraternidade
de Nautas da Arca Real. Foi Dunckerley que nomeou o irmão Ebenezer
Sibley, outro homem de considerável habilidade em vários campos, como
seu adjunto.

Pouco antes da morte de Dunckerley foi Sibley que acolheu Lorde
Rancliffe como próximo Grande Comandante. Rancliffe ocupou o cargo até
1799, após o que a Grande Loja gradualmente cessou seus trabalhos até
fechar. O Grau, no entanto, sobreviveu e agarrou-se tenazmente em uma
série de lugares. Em 1843 uma tentativa foi feita pelo irmão John F
Dorrington para reviver a Grande Loja de Nautas da Arca Real. Mas tem
que ser dito, porém, que a sua Grande Loja foi ainda menos bem
sucedida do que a de 1793.

Morton Edwards, tendo sido levado à presidência, parece ter tido a
ambição de relançar a Grande Loja de Nautas da Arca Real. Assim, foi
realizada uma reunião em 13 de maio de 1870 na Estrada Bow, Londres,
na casa do Irmão Dorrington e foi acordado a reconstituir uma Grande
Loja.

Desde que várias Lojas de Marca começaram também a trabalhar o Grau de
Nautas da Arca Real, houve conflito entre a Grande Loja de Nautas da
Arca Real e a Grande Loja de Mestres Maçons da Marca, que havia sido
formada em 1856. Isso veio à tona quando o Reverendo Irmão Canon
Portal, Grão-Mestre da Grande Loja de Mestres Maçons da Marca,
anunciou, em 1870, que o grau de Nautas da Arca Real estava sendo
trabalhado em Lojas da Marca desde 1790 e portanto, a Grande Loja de
Marca, protegeria o Grau de Nautas da Arca Real, sob um novo conselho
de Grão-Mestres. Esta é a razão do porque as Lojas de Nautas da Arca
Real estão sob a responsabilidade da Grande Loja de Mestres Maçons da
Marca.

O conflito e a discórdia continuaram depois de 1870, até que a Grande
Loja de Mestres Maçons da Marca simplesmente comprou o Grau de Morton
Edwards, no valor de £ 25! A ata desta transação ainda está na
biblioteca do Hall Mark Mason em St. James's Street, Londres.

Desde então, o Grão-Mestre da Grande Loja de Mestres Maçons da Marca
da Inglaterra e País de Gales e seus distritos alem mar é
automaticamente Grão Mestre da Antiga e Honrosa Fraternidade de Nautas
da Arca Real.

O grau de Nauta da Arca Real só podem ser atribuído a Mestres Maçons
da Marca, o governo dos dois graus é intrinsecamente ligados e uma
Loja de Nautas da Arca Real está ligada a uma Loja de Marca com o
mesmo número, independente de idade e, em geral com o mesmo nome.

Desde que a Grande Loja de Mestres Maçons da Marca assumiu a
responsabilidade da Fraternidade, ela tem crescido constantemente, com
dois eventos que são dignos de nota. Em 1991, foi decidido usar a
Comunicação de dezembro da Grande Loja de Marca uma vez que a Reunião
Anual dos Nautas da Arca Real, ao longo dos últimos três anos, teve
que ser realizada na Freemason's Hall, Great Queen Street, a fim de
acomodar os que pretendiam participar.

Mais recentemente, a Tábua de Delinear foi reintroduzida, ela esteve
fora por mais de cem anos. Ela só pode ser reativada, porque a
Gladsmuir Lodge No. 367 ((desta) da Província de Hertfordshire) tomou
uma grande medida, ter guardado uma cópia da Tábua de Delinear e com a
ajuda dos membros seniores da Província que convenceu os "poderes
constituídos", que agregariam valores às Lojas de Nautas da Arca Real
e aos seus cerimoniais.

As Lojas de Nauta da Arca Real também estão começando a reviver o uso
de um tapete especial que acrescenta muito brilho às cerimônias.

A qualificação para a "Elevação" é, como já foi mencionado, ser um
Mestre Maçom da Marca.

A Elevação no Grau de Nauta da Arca Real comemora a providência e
misericórdia de Deus e refere-se à lenda do dilúvio. O assunto é
tomado diretamente da Bíblia é naturalmente bonito e instrutivo.
Quando o candidato entra na sala da Loja sua atenção é dirigida a três
pilares e em determinada fase a arca e momentaneamente simbolizada em
termos semelhantes aos da Arca da Salvação. O candidato é instruído
finalmente para avançar com o espírito das virtudes cardeais.

O ensinamento do Grau destaca a importância das forças da família e da
necessidade de cada membro da sociedade fazer sua parte para o
benefício de todos. Nós somos ensinados que a partir do caos, a
humanidade pode sobreviver a uma catástrofe e que devemos enfrentar as
adversidades juntos, ajudando a cuidar dos menos afortunados do que
nós mesmos.

Durante a cerimônia algumas analogias são traçadas entre os perigos de
inundações e os perigos da vida. Nós somos lembrados de como devemos
nos esforçar para chegar a Arca, o refúgio de descanso, assim como fez
a família de Noé e os outros ocupantes da arca nos contos bíblicos do
dilúvio.

A maioria das Lojas de Nautas da Arca Real reuni-se três vezes por
ano, geralmente na mesma noite que a sua Loja de Marca. Em alguns
casos, a instalação pode ser realizada em outra sessão, de modo a
permitir que o novo Venerável Comandante presida a reunião festiva.

A mais antiga Loja de Nautas da Arca Real na província é a Gladsmuir
Lodge n º 367, cuja fundação é datada de 17 de outubro de 1894.

Os oficiais de uma Loja Nautas da Arca Real são semelhantes aos de uma
Loja de Marca embora tenham nomes diferentes. O Venerável Mestre é
conhecido como Venerável Comandante, o secretário como escrivão, o
Guarda Interno como Guardião e o Cobridor como Guarda Externo.

Os principais oficiais representam Noé (Venerável Comandante) e seus
dois filhos Jafé (Primeiro Vigilante) e Shem (Segundo Vigilante). Os
vigilantes se sentam como nas lojas simbólicas de antigamente, no
Noroeste e Sudoeste da Loja, respectivamente, os diáconos sentam-se
juntos no Ocidente.

Existe apenas uma cerimônia (além da instalação de um Comandante
Venerável), que é a cerimônia de elevação que é relativamente curta,
dura cerca de quarenta e cinco minutos. Apenas um ritual é utilizado
em toda a Constituição. "

W Bro John Oakley-Smith, RAMGR, DPGM
Baseado num artigo do VW Bro Brian Vickers A, RAMGR (Past DPGM (Londres))

No Brasil temos a Grande Loja Distrital de Mestres Maçons da Marca do
Brasil, ligada a Grande Loja de Mestres Maçons da Marca da Inglaterra,
que administra o Grau e cujo Grão Mestre Distrital é o Irmão John C.
Woodrow, com as Lojas Guanabara nº 1156, Saint Paul's nº 961, Campos
Salles nº 1355, e Barão de Mauá 1852.

Vínculado a ACAM (Associação Cultural de Aperfeiçoamento Maçônico),
que está igada ao Grande Oriente do Brasil e com reconhecimento da
Grande Loja de Mestres Maçons da Marca da Inglaterra, temos a Grande
Loja de Mestres Maçons da Marca do Brasil, que também administra o
Grau de Nautas da Arca Real. As Lojas brasileiras se reúnem 4 vezes
por ano e em dias diferentes.

O Grão-Mestre é o Irmão  Wagner Veneziani Costa e assistente o Irmão
Gerson Madagleno. Ela está em pleno crescimento em todo o território
nacional. Hoje são mais de 15 Lojas no Brasil.

Foto ao lado é de Tullio Colacippo Past Grão-Mestre da Grande Loja de
Mestres Maçons da Marca do Brasil e Wagner Veneziani Costa atual
Grão-Mestre.

Luiz Adive Palmeira, Membro da GUANABARA LODGE OF ROYAL ARK MARINER Nº
1156 on the register of The Ancient and Honourable Fraternity of
Royall Ark Mariners of England, in the District of Brazil.
Com a colaboração do Eminente Irmão Gerson Madagleno, Grão Mestre
Assistente da Grande Loja de Mestres Maçons da Marca do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate