Other stuff ->

terça-feira, 10 de maio de 2011

O CACETE ARMADO DO BAIANO

NO CACETE ARMADO DO BAIANO


Um Baiano lá pras bandas de Itapoã tinha um cacete armado, que ganhou
fama nacional e internacional, pois tudo o que você viesse precisar,
encontrava no cacete armado. De queijo, passando por lingüiça, torresmo
e charque até peças para BMW, Ferrari e Boeing 737. Era incrível!

Um paulista ficou sabendo do cacete armado e entrou numa de sacanear com
o Baiano. Embarcou então pra Bahia e se dirigiu para o cacete armado.
Ocorreu a seguinte conversa:

PAULISTA: Aí meu chapa, ouvi dizer que neste cacete armado tem de tudo!
BAIANO: -Pois é, tem umas coizinhas sim ...
PAULISTA: -Tem PODELA?
BAIANO (meio surpreso):-Hoje eu não tenho não, mas se passar aqui amanhã
eu vou ter.
PAULISTA: Legal, então amanhã eu passo aqui.

O Paulista saiu fora deixando o Baiano encafifado. Não era pra menos:
Ele havia inventando a palavra PODELA lá na hora, só pra enganar o
caceteiro.

- Podela, podela, podela, que é isso porra? - Pensou o Baiano.

No final da tarde, fechou o cacete armado e saiu a andar e perguntar se
alguém sabia o que era podela, mas ninguém sabia. Com medo de que seu
cacete armado perdesse a fama, o Baiano desesperado foi para casa, tomou
umas pingas, comeu uma tremenda feijoada com charque, fechando com uma
bela sobremesa de doce de batata-doce.

Acordou de madrugada com uma tremenda dor de barriga, foi no banheiro e
cagou aquele barro que nem ele conseguia aguentar o cheiro, ai pensou
num jeito de lascar o Paulista, colocou aquela coisa num forno bem
quente e, após algumas horas, tirou do forno já bem seco e moeu até
virar pó e a empacotou.

Amanhecendo o dia, pegou o pacote e foi pro cacete armado. Pouco depois
chegou o Paulista louco para ver a atitude do Baiano ao dizer que não
tinha sua encomenda.

Ocorreu então a seguinte conversa:
Paulista: - E aí Baiano, conseguiu a minha encomenda?
Baiano: - Oxe, consigui sim, tá aqui, da uma provadinha.
PAULISTA (cabreiríssimo) : -Tá legal, me dá aí, e puto da vida, encheu a
mão daquele pó colocou na boca e disse:

-Pô, meu, isto aqui é merda!
BAIANO: Merda não, É o "PÓ DELA".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate